segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Testes em animais.



"Nos 65 anos desde que as leis de testes em animais foram introduzidas, a pesquisa científica revolucionou nossa compreensão da biologia humana e de o quanto ela difere da de outras espécies.
Como resultado do que sabemos agora sobre o corpo humano, as consequências desses 65 anos de idade das leis de segurança que obrigam a realização de testes em animais, não são apenas o fato de que eles se tornaram ultrapassados, mas são na verdade uma forma imprudente e negligente [de verificação de "segurança"], expondo milhares de indivíduos da população ao risco de morte por ingestão de sua própria medicação (hoje, na Europa, ocorrem cerca de 197.000 mortes por reação adversas a medicamentos por ano)

A solução é bastante simples.
Nosso governo e as autoridades de saúde devem remover a exigência legal da realização de testes em animais e substituí-los por métodos que sejam de fato relevantes para os seres humanos.
E quanto mais cedo melhor, tanto para a saúde humana, como para o bem-estar animal."




A chance de um teste em animal  prever corretamente como um ser humano vai responder a um medicamento ou a um produto químico é tão confiável quanto jogar uma moeda. 
Uau, isso pode parecer uma grande acusação!
E sim, de fato, há muita evidência científica publicada para fazer essa afirmação. 


Danos ao fígado das pessoas induzidos por drogas é o motivo mais freqüente citado para a retirada do mercado de um medicamento aprovado, o mesmo fator também responsável por mais de 50 por cento de insuficiência hepática aguda nos Estados Unidos
Os valores para o Reino Unido são praticamente os mesmos, onde a toxicidade para o fígado humano é referida como sendo a segunda causa mais comum de falha de drogas, por seus efeitos adversos, em ensaios clínicos de drogas potenciais
Em outras palavras, os danos ao fígado das pessoas são causados por drogas depois de terem sido testadas em ratos e cães Beagle, tal como exigido por lei. 
Com base nos dados fornecidos pela [própria] indústria farmacêutica, as experiências com drogas em ratos e em cães, não previram os danos no fígado humano em cerca de 50% dos casos.
Isso é exatamente o mesmo resultado que se pode esperar ao jogar uma moeda. 


http://contatoanimal.blogspot.com.br/2013/01/o-uso-de-caes-beagle-em-pesquisas-e.html


Um comentário:

Angélica disse...

Hola Elaine , no sabía que se testeaban algunos animales para saber en los seres humanos como respondemos a cieros medicamentos
Buen post